Você assobiou com seu avô?


 Barbara    24 jan : 14:23
 Nenhum(a)    Blog

Toda vez que eu ia na padaria com o vô Bute ele me ensinava a cumprimentar as pessoas e a assobiar

Vô Bute e vô Sebastião
Vô Bute e vô Sebastião juntos, num domingo, esperando o almoço
na casa da Vó Arinda, debaixo do pé de carambola (dez/1982)

Toda vez que eu ia na padaria com o vô Bute ele me ensinava a cumprimentar as pessoas e a assobiar

A "música" do assobio eu sei até hoje. Um dia ainda gravo e coloco aqui... É um "loop". Termina e começa novamente, sempre. Sem fim. Um dia, pela manhã, eu ia com ele à padaria e observava o assobio. Aí pedi para ele me ensinar. Aprendi rápido. Em alguns dias eu já assobiava junto. Ele disse que foi um coronel ou sargento... um militar... que o ensinou a assobiar aquela música, quando esteve doente na época de quartel. Nesta mesma época comecei a cumprimentar as pessoas que ele cumprimentava. Certo dia, eu cumprimentei uma pessoa que estava distante. "Espere as pessoas passarem por você para cumprimentar!", ensinou o vô Bute.

Na foto acima, a mesinha de ferro da "Antártica" (meu avô Bute trabalhou numa distribuidora de bebidas). Ali, nesse mesmo lugar, eu brincava de Playmobil na areia, subia no pé de carambola, escondia no meio das plantas (quando brincava de pique-esconde), almoçava aos domingos com meus irmãos, colegas e primos.

O vô Sebastião era uma espécie de faz-tudo. Na casa dele tinha uma oficina enorme. Ele que arrumava nossas bicicletas. Ele adorava pescar. Era dono de venda. Daquelas vendas que vendiam de tudo na época. Desde doces e balas até cereais a granel (tudo pesado e colocado em sacos de papel). Eu gostava de ir lá na venda. Mas nenhuma criança pode ficar nesses lugares em horário comercial, não é mesmo? Então, meu convívio com vô Sebastião e vó Ilizia era mais de final de semana. Por isso que eu ficava mais tempo na casa da vó Arinda e vô Bute (ou Buth)? Talvez.

P.S.: Hoje é aniversário da Fernanda, a Nanda, minha filha mais velha. Seus 13 anos! Parabéns, querida! Amo você!